Como é partir da percepção e não do pensamento?

eternal i am

 

 

Premaswarupas! [Encarnações do Amor divino]

Compartilho três expressões de uma mesma mensagem divina…
A primeira delas está na Bíblia, em Romanos e revela:  Romanos 8:13-17

“Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.
Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus.
Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.
O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

O “núcleo”, a essência desta mensagem divina é esta:
“todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus”

A mensagem de Jesus foi dirigida tanto a judeus quanto aos gentios; tanto a circuncisos quanto a incircuncisos… Ou seja, é uma mensagem de Amor universal.
Vamos nos aprofundar no que revela esta mensagem…

“Porque, se viverdes segundo a [percepção da] carne [segundo a percepção da mente] , morrereis [para a Vida verdadeira, para a Vida espiritual]; mas, se pelo Espírito [se pela percepção do Espírito] mortificardes as obras do corpo, vivereis [vivereis a Vida Espiritual; Vida de Deus]. Porque todos os [divinos personagens] que são guiados pelo Espírito de Deus [EM nós] esses são filhos de Deus.
Porque não recebestes o espírito de escravidão [visão que escraviza a uma vida mental], para outra vez estardes em temor [estardes vivendo sob os temores e condicionamentos da mente], mas recebestes o Espírito de adoção de filhos [este Espírito de adoção é a percepção de que Deus é o verdadeiro Pai, a verdadeira Fonte de onde emergimos, a Grande origem ou Nyo… ], pelo qual clamamos: Aba, Pai [pelo qual nos percebemos como Nyorais…].
O mesmo Espírito [a mesma Consciência de Deus] testifica com o nosso espírito [testifica com a nossa percepção consciencial] que somos filhos de Deus.

E, se [na representação divina] nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos [se como ele passamos por tribulações no mundo da mente…, na representação], para que também com ele sejamos glorificados [com a glória que Deus nos deu antes que houvesse mundo ou representação…].

A segunda expressão dessa mesma mensagem divina vem através do divino personagem Masaharu Taniguchi… que ascendeu da terra ao céu!
Na história dos iluminados é comum que um personagem trilhe o caminho de ascensão da terra ao céu, ou seja, da percepção mental à percepção consciencial da Realidade, a fim de que esta experiência sirva de inspiração a muitos outros buscadores espirituais…
Basicamente toda “experiência de iluminação” é uma PERCEPÇÃO CONSCIENCIAL…
O que o próprio Masaharu Taniguchi descreve em sua iluminação é que, tal como outros iluminados, como Jesus e Sakyamuni, ele PERCEBEU  que não era o divino personagem que havia nascido neste mundo numa certa data e local, e que sempre foi um ser búdico!
Ele “percebeu”/compreendeu que não nasceu neste mundo, da mesma forma que Jesus declarou que não é deste mundo e que nós também não somos!
Por isso o ensinamento que passou a fluir através de Masaharu Taniguchi vem da Fonte que é a Realidade, que ele chamou de “Jisso” e que foi depois traduzido como mundo da “Imagem Verdadeira”. Na linguagem do Núcleo esta Realidade é a Consciência do Ser, e por isso é chamada de Realidade Consciencial, Dimensão Consciencial. Realidade Divina ou simplesmente Realidade. E nesta Fonte divina a real identidade dAquele que apareceu como o divino personagem Masaharu Taniguchi é Deus Sumiyoshi, que é o Deus que Se manifestou através da Seicho-No-Ie, que é o Deus da Seicho-No-Ie, que é o Deus Único!
Desta “percepção” Masaharu Taniguchi passou a captar dessa Fonte interna do Ser Real o que chamou de “vibrações espirituais de Deus”, que expressou como “palavras do Anjo” e que as compartilhou em forma escrita, no que vieram a ser conhecidas como as sutras sagradas da Seicho-No-Ie.
Uma dessas sutras sagradas, o canto evocativo de Deus, revela que o “eu” que deixa o mundo dos cinco sentidos é o “eu da Imagem Verdadeira”!
Notem que revelação! Que percepção primorosa esta compartilhada pelo “Anjo” e depois elucidada por Masaharu Taniguchi!
Não é um ser distante, não é um ser separado, não é um ser idealizado, não é outro! É o “eu da Imagem Verdadeira”! Em outras palavras: é seu próprio “Eu”, sua real identidade, que na Meditação Shinsokan – neste momento – ou seja, no momento presente, deixa a visão do mundo dos cinco sentido e entra no mundo da Imagem Verdadeira!
Portanto, a prática da Meditação Shinsokan é a evidência de um dos mais fundamentais ensinamentos compartilhados no Núcleo, de que:
NÃO HÁ PERCEPÇÃO SEM AÇÃO!
Atentem que no Núcleo a palavra “meditação” é sinônimo de “percepção consciencial”. Portanto, na representação, a “prática da meditação” é a “ação” que realiza a percepção!
Aja significa medite sempre que a ação for desinteressada, ou seja, é a ação pela própria mão [ação que Re-Une ao Ser] e não ação interessada no que a mão divina pode dar…
Quem age por Amor percebe o que é Amor…
Quem age por Deus percebe o que é Deus…
Enfim, a prática da Meditação Shinsokan, que é ação que deve ser praticada por todos os seguidores do Mestre [que é Deus Sumiyoshi]… realiza a percepção e desvela o Ser!
Por fim, a terceira expressão da mesma mensagem divina está nos Upanishads…
Upanishad tem, dentre outros, o sentido de estar aos pés do Mestre…
Assim, a simples menção desta palavra Upanishad nos remete a imagem de estarmos “sentados aos pés do Mestre recebendo Suas orientações”.
Notem que isto significa o mesmo que: “os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus”.
É preciso nos “sentarmos aos pés do Mestre” para Dele recebermos Suas orientações!
Aqui o “sentarmos aos pés do Mestre” é a “ação que realizará a percepção” consciencial.
Nesse caso é uma “ação interna”, um estado de receptividade às orientação do Mestre; e esse Mestre é o Espírito de Deus que vive Em nós!
Assim, a ação física, a postura correta com as mãos justapostas na prática da Meditação Shinsokan disciplina a nos mantermos em Upanishad… ou “sentados aos pés do Mestre” desde o início, durante e após a prática meditativa!
Meus Amigos, personificação do Ser Supremo,
Relacionem os ensinamentos sagrados como provenientes de um Deus único, que tem revelado à humanidade desde tempos imemoriais a percepção que desvela o Ser Real…
Enquanto personagens pratiquem a ação correta, a ação que realiza a percepção!
Notem que essa ação não se constitui necessariamente num fazer ou em um não fazer, mas sim, numa postura interna que, em certas ocasiões exterioriza-se como um fazer, como em algumas práticas meditativas em que devemos nos colocar em determinadas posições para aquietar a mente e recebermos adequadamente a guia do Espirito de Deus e em outras nós devemos apenas nos focar em Deus nos “sentando aos pés do Mestre”, para nesse estado receptivo, em Upanishad…, recebermos suas divinas orientações.
Em qualquer das situações mantenham-se no Núcleo… ou seja, sintonizados na Fonte!
Em síntese, estas são as três expressões da mesma mensagem divina que percebo, desfruto e que me compraz compartilhar!
Namastê,
Silvano.

 

 

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s