Comentário ao texto “Ordenação” de Joel Goldsmith

por do sol

Texto original no “Templo dos Iluminados” – para os que quiserem acessar em: 

http://busca-espiritual.blogspot.com.br/2008/04/ordenao-joel-s-goldsmith.html

Divinos personagens,

O presente post contém uma mensagem divina, atemporal e profundamente “nuclear”.

Está sendo aqui reeditado, porém, o comentário que se segue não é uma reedição.

Os comentários estarão entre chaves [ … ]

Dou-lhes duas declarações do Mestre: “Meu Reino não é deste mundo…” e “Eu venci o mundo”.

Três homens que tiveram a revelação completa do segredo da vida foram Lao-Tsé, na China, cerca de 600 a.C; Buda, na Índia, cerca de 550 a.C; e Jesus de Nazaré. [Estes “personagens despertos” são grandes exemplos, há outros, dos quais se originaram as grandes religiões, como o confucionismo, o budismo, o cristianismo, o islamismo, o hinduísmo, e mais recentemente as religiões que se formaram em torno dos líderes religiosos dos tempos recentes, como os seguidores de Sai Baba, de Yogananda, de Ramakrishna, de Osho, da Índia; e de Masaharu Taniguchi e Mokiti Okada, do Japão, e também de vários outros grandes expoentes da espiritualidade contemporânea. Por sua vez, Joel S. Goldsmith fundou não propriamente uma religião, mas um movimento espiritual, chamado O Caminho Infinito, através do qual difundiu seus ensinamentos]

 Através de Jesus a revelação plena veio para o amado discípulo João, na Ilha de Patmos. [Este é um detalhe importante deste texto de Goldsmith, no qual ele revela que foi “através de Jesus”… veio ao amado discípulo João a “revelação plena” … Atentem bem! Goldsmith revela que a revelação plena veio a um personagem comum, veio a João, não somente a Jesus, o líder sobre o qual a nova religião seria formada! E o segundo detalhe revelado por Goldsmith a ser notado é este: “através de Jesus”!

O próprio Jesus afirmou que sua mensagem não era sua, mas sim, do Pai, por Quem foi enviado a este mundo… Dizia também que as obras não era ele Quem as realizava, mas sim, o próprio Pai. E certa vez revelou também aberta e inequivocamente que: “Quem vê a mim vê Aquele que me enviou”; E também, que: “Eu e o Pai somos Um”.

Na “representação” a mensagem divina é percebida pelos “personagens despertos”, que são os que têm consciência de sua real identidade, ou seja, de sua origem divina e de sua unidade com Deus. Da “percepção” desta “revelação plena” vem o “desfrute”, o “estado de bem-aventurança” e deste vem o desejo de “compartilhar” este “desfrute”. Tudo isso ocorre a um só tempo, o que faz com que estes “personagens despertos” estejam a um só tempo “percebendo, desfrutando e compartilhando” a verdade do Ser; ou seja, estão ““percebendo, desfrutando e compartilhando” Quem são, Quem Somos!

O fato aqui a ser notado é que a percepção da realidade divina, da real identidade, ou seja, de Quem somos, chamada por Goldsmith de revelação plena, é “compartilhável”. Por isso ele diz que: “a revelação plena veio para o amado discípulo João, na Ilha de Patmos”. È preciso observar que a ilha de Patmos é um lugar físico, na representação. Não se trata de ter a revelação plena, ou seja, ter a “percepção consciencial” apenas quando não estivermos mais neste mundo, nesta representação. Por isso Goldsmith declarou que “o amado discípulo João teve a revelação plena na ilha de Patmos”. É fato que esta percepção nos faz conscientes de que não estamos na representação, mas sim, na realidade divina! Esta percepção nos faz conscientes de que estamos neste momento vivendo no “reino de Deus” [na linguagem cristã] ou “Mar Ryugu” ou “mundo da Imagem Verdadeira” [na linguagem dos adeptos de Masaharu Taniguchi].

Por isso Jesus orou, momentos antes de ser crucificado, assim: Pai, minha vontade é que “onde Eu estou estejam todos os que me deste”. Certamente sua vontade não era que todos estivessem a ponto de serem crucificados, mas que estivem conscientes do “reino de Deus”, que é o estado onde se desfruta a glória de Deus e o amor de Deus, que foram o objetivo e o conteúdo expresso da oração de Jesus naquele momento.  ]

 E é nessa dimensão consciencial, ou seja, neste “reino de Deus” ou no “Mar Ryugu” ou “mundo da Imagem Verdadeira” onde está o verdadeiro Mestre, o “EU” de Jesus! [O “EU” da oração de Jesus: “onde EU estou estejam todos os que me deste”]
E foi deste verdadeiro Jesus que João recebeu a revelação plena na Ilha de Patmos.

Aqui cabe enfatizar que existe o “Jesus fenomênico”, que nasceu na representação, e viveu entre os homens, e que existe o “Jesus verdadeiro”, que vive no Reino de Deus. Este é o Jesus que está na Consciência de Deus, o ser consciencial atemporal, que É e que declarou Quem É, dizendo: “Antes que Abraão existisse Eu Sou.”

Da mesma forma, foi deste Jesus que Goldsmith recebeu a mesma revelação plena.

Ele escreve:

Foi de Jesus que eu também recebi essa mesma revelação através do que afirma a Bíblia “Meu Reino não é deste mundo”. Esta declaração, juntamente com “Eu venci o mundo”, tornaram-se o objeto de minha meditação durante muitos meses. Eu não as escolhi; elas se apegaram a mim e, finalmente, veio a compreensão do seu significado. Nunca soube que isso tenha sido ensinado desde que foi recebido por João, exceto em seus próprios escritos ocultos. Portanto, se você receber e aceitar este ensinamento, Deus com efeito abençoou você além de todos os homens e mulheres. [Este ensinamento divino está sendo novamente compartilhado através do meu personagem, cuja real identidade é a real identidade de todos os personagens, que é a do Ser que está na Consciência de Ser, onde apenas o próprio Ser é real.]
Vencer o mundo significa sobrepujar ou elevar-se acima de todo o desejo dos sentidos, estar livre da atração do mundo, viver no mundo mas não ser sua propriedade, conseguir libertar-se da servidão ao ego pessoal e entender o mundo espiritual e, assim, libertar-se do falso sentido do universo de Deus. [ Este “falso sentido do universo de Deus” é o que no Núcleo é chamado de “percepção da mente”, da “mente do personagem”, ou seja, “de quem estamos sendo”, ou, percepção mental. Ocorre que nós somos Quem Somos, nós não somos “quem estamos sendo”, ou seja, nós não somos os personagens; nós somos o próprio Ser, o Ser Real, Aquele que vive na Consciência de Deus, nós somos o ser consciencial. Aparecemos como inúmeros seres na representação divina, a qual nos vemos mentalmente como seres separados. Mas somos todos Um só. Esta realidade sobre nossa real identidade não é perceptível pela percepção da mente de quem estamos sendo, que percebe de forma dual. Mas é perceptível pela Consciência do Ser que somos, que percebe de forma unitária. ]

Vejamos como os ensinamentos do Caminho Infinito expressam isso…

Na medida em que vemos este mundo, sob a ótica humana, estamos vendo o céu de Deus, mas vendo-o “por espelho em enigma” [ou seja, pela percepção mental]. Vencer este mundo significa elevar-se acima do sentido humano, finito, errôneo do mundo, e vê-lo como ele é [ou seja, percebê-lo consciencialmente].

Foi João quem nos disse: “Quando Ele se manifestar[ou seja, quando a percepção da Consciência do Ser se manifestar], seremos semelhantes a Ele [semelhantes porque é o próprio Ser Quem Se percebe] porque assim como é o veremos [assim como Ele É Ele Se vê]”. Nesta consciência esclarecida [na percepção consciencial], veremos Deus face-a-face [apenas o próprio Deus é Quem Se vê face a face] apesar de que será Deus aparecendo como você ou como eu, Deus aparecendo como homem ou mulher [será Deus Se percebendo assim; e amando tudo o que vê e vendo que tudo é bom!].

Estas palavras projetam claramente a consciência mais elevada da vida [ de fato, esta é a percepção mais elevada possível – o Ser se vendo a Si mesmo em tudo o que fez] mas somente quando você puder ser convencido no seu íntimo e puder abrir espiritualmente a sua consciência [quando estiver percebendo consciencialmente], é que poderá ter a verdadeira percepção delas. Isso é o batismo espiritual, a experiência Pentecostal de receber o Espírito Santo. Dele vocês emergirão como homens e mulheres que viram através da miragem dos sentidos o testemunho da realidade subjacente [a realidade divina, consciencial] em que vocês, na verdade, vivem, se movem e têm o seu ser.

Esta vida que vocês vivem é Deus, visto “por espelho em enigma” [ou seja, é Deus visto pela percepção mental], mas agora, neste instante [na percepção consciencial que vê o “eterno Agora”] vocês o vêem face-a-face. Agora vocês podem desfrutar de amizades, companhias, casamento, associações empresariais, mas tudo sem ligação intensa [porque com esta percepção passamos a não nos identificar demasiadamente com quem “estamos sendo”, como nossos “personagens”]. Os grandes sucessos de seus amigos ou familiares não os deixarão indevidamente alegres, e seus fracassos não o perturbarão mais [porque tudo passa a ser percebido pelo que é: “encenação”].

Você usará o dinheiro como um meio de troca, mas nunca mais você, que venceu este mundo, o odiará, o temerá ou o amará. Você tratará o dinheiro como trata os passes de ônibus – parafernália necessária e desejável na vida cotidiana [na representação]. Você sempre terá mais do que necessita, sem qualquer apreensão [com a percepção consciencial não há qualquer apreensão porque percebemos claramente que: “todas as configurações são perfeitas”]. Mesmo a ausência temporária de dinheiro não o embaraçará ou o perturbará, porque nada em seu mundo depende dele. Tudo o que você precisa vem a você pela graça, e como presente de Deus [a percepção é clara de que realmente tudo é um “presente de Deus”].

[Meus comentários cessam aqui porque o texto é suficientemente claro por si mesmo.]

Ao vencer este mundo, você vence as crenças que constituem este mundo, inclusive a crença de que o homem tem de ganhar a vida pelo suor de seu rosto. Você é co-herdeiro, com Cristo, em Deus, de todas as riquezas celestiais, de cada ideia da Sabedoria infinita.

Ao vencer este mundo, você perde o seu medo do corpo, libertando-o dessa forma para viver sob a lei de Deus. Você vence as crenças do mundo à respeito do corpo – que ele é finito ou material, que ele vive somente do pão ou dos assim chamados alimentos materiais, ou que ele tem de ser provido de qualquer maneira. Banhe-o, mantenha-o limpo por dentro e por fora, mas descarte toda preocupação com ele. Ele está sob a guarda eterna de Deus. Ele está vivendo, se movendo e tendo o seu ser na consciência de Deus. Não se preocupe com o seu corpo, porque é do interesse de Deus preservar e manter a imortalidade de Seu próprio universo, inclusive do Seu corpo, que é o único corpo.

O que você vê fisicamente como seu corpo representa o seu conceito de corpo; mas há somente um corpo, o corpo de Deus, e este é o segredo dos segredos.

A saúde de Deus é a sua saúde. A riqueza de Deus é a sua riqueza. Sua família é o domicílio de Deus; sua consciência, o ser individual, infinito, de Deus. Há somente um único Ser, e esse Ser é Deus, e cada pessoa que você encontra representa o seu conceito desse ser Único, expresso individualmente.

Sua liberdade espiritual significa a sua libertação das crenças falsas e universais sobre o seu corpo, seus afazeres e seus relacionamentos. Então você já não está mais sob a lei da crença universal: você se torna livre em Cristo, isto é, você sobrepujou ou se elevou acima das crenças errôneas a respeito do mundo de Deus e, por isso, venceu este mundo, o sentido falso do mundo. Você agora vê o mundo como ele realmente é e não como “este mundo”.

“Deixo-vos a paz, Eu vos dou a Minha paz; não vo-la dou como o mundo a dá”. A paz espiritual Eu dou a você, a paz que transcende compreensão, a paz que não depende de pessoas ou condição exterior. Agora, nada neste mundo poderá afetar você, que está livre em Cristo, em consciência espiritual. Você caminhará de um lado para o outro no mundo, indo e vindo livremente, e nenhuma das crenças do mundo se ascenderá em você. As chamas não lhe causarão dano; as águas não o afogarão. Eu coloquei o meu selo sobre você, e você está livre. Caminhe para cima e para baixo, para dentro e para fora. A lei espiritual mantém o seu ser, o seu corpo, o seu negócio.

Não diga a nenhum homem o que você viu e ouviu. Não explique nem conte às pessoas a respeito de sua libertação “deste mundo”. Movimente-se de um lado para o outro entre os homens, como um dom, como uma bênção, como a luz do mundo. Deixe esta vida e esta mente estarem em você como o estavam em Cristo Jesus. Seja receptivo. Seja expectante. Esteja sempre alerta para receber orientação, direção e apoio interiores. Mantenha-se sintonizado com o seu mundo interior, mas ainda assim cumpra com todos os seus deveres externos. Cumpra todas as obrigações externas, mas mantenha-se alerta interiormente.

Existem aqueles entre vocês que foram chamados para o trabalho de Deus. Será transmitido a você o que fazer e quando. Eu coloquei o Meu Espírito em você. Esse Espírito será visto e sentido pelos homens. Não será você, mas o Espírito que eles discernirão, embora pensem Nele como você.

Meu espírito trabalhará por você e através de você e como você. Ele trabalhará para realizar o Meu propósito. Você será a Minha presença na Terra. Eu não deixarei você, nem o abandonarei. Sob qualquer aparência, Eu ainda estrei com você. Não tema nada deste mundo. Meu Espírito orientador está sempre com você.

De Lao-tsé diz-se que quando tinha 1.200 anos de idade tornou-se cauteloso porque o mundo não podia concordar em libertar-se da moenda desta vida mortal. Ele decidiu deixar a cidade, mas antes de passar pela porta, o sentinela, suspeitando que ele nunca mais retornaria, pediu-lhe para escrever seu ensinamento, o que ele fez numa mensagem curta.

De Buda, diz-se que ele ensinou seus discípulos, mas constatou que eles não podiam compreender plenamente a importância da mensagem. Por isso, um dia, mandou chamá-los, despediu-se e deixou este plano humano.

Jesus perguntou: “Então nem uma hora pudeste velar comigo?”. Ele também disse: “Se eu não for, o Consolador (O Espírito da Verdade) não virá a vós”, significando que os discípulos também não tinham apreendido o significado de sua mensagem.

Uma vez mais, agora, a Mensagem é repetida sobre a Terra para você. Você também dormirá?

[De fato, agora através do Núcleo:  “Uma vez mais, agora, a Mensagem é repetida sobre a Terra para você. Você também dormirá?]

Mas se dormir não se preocupe! Assim como o “Céu” é eterno, a “terra” tem o tempo de existência que Quem você realmente É quiser…

De qualquer forma esteja em PAZ!

Através de Silvano

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s