Conversando com Deus

Amigos,

Compartilho com vocês o resultado da minha conversa com Deus de hoje de manhã através do livro 1 Conversando com Deus de Neale Donald Walsch. É impressionante como você pode perguntar qualquer coisa a este livro que Deus te responde através dele. E claro que isto não está limitado a este livro. Deus é a sua natureza verdadeira e todas as respostas a qualquer questão que a mente possa formular já estão em você é só estar atento para ver, para perceber!

Tudo aquilo que se apresenta diante de nós em cada momento de nossas vidas é algo que criamos para a afirmação de quem somos! Todas as suas ações e a maneira com a qual vc frequentemente reage às situações em sua vida, mostram em que estado de descobrimento do seu Ser Real vc está! Mas se uma situação aparentemente está ruim, isto quer dizer que você não está satisfeito com ela e quer mudá-la, mas não a julgue como ruim, esta insatisfação surge, pois no fundo vc sabe que aquela situação não demonstra perfeitamente aquilo que vc É, a sua realidade prima! Mas mesmo assim ela não deve ser rotulada como algo ruim pois todas as experiências são sagradas.

Certa vez, existiu uma alma que sabia que era a luz. Sendo uma alma nova, ansiava por experiência. “Eu sou a luz”, dizia repetidamente. Mas todo o seu conhecimento e todas as suas palavras não podiam substituir a’experiência de ser a luz. E na esfera onde essa alma surgiu, só havia luz. Todas as almas eram sublimes e magnificentes, e irradiavam o brilho da Minha grande luz. E por isso a pequena alma em questão era como uma vela sob o sol. No meio da luz maior – da qual era parte – não podia ver a si mesma, experimentar-se como Quem Realmente Era. Acontece que aquela alma desejava muito conhecer a si mesma. Tão profundo era esse seu desejo que um dia Eu lhe disse: – Você sabe, Pequena Alma, o que deve fazer para satisfazer o seu desejo? – Ah, o que, Deus? O quê? Eu farei qualquer coisa – disse ela. – Deve separar-se do restante de nós – disse Eu – e então evocar a escuridão. – O que é a escuridão, ó Santíssimo? – perguntou a pequena alma. – O que você não é. E a alma compreendeu. Afastou-se do todo, chegando a ir até outra esfera. Nela, teve o poder de experimentar todos os tipos de escuridão. E o fez. Contudo, no meio daquelas trevas, gritou: – Pai, Pai, por que me abandonastes?

Vocês têm feito isso em seus momentos mais difíceis. Entretanto, eu nunca os abandonei. Estou sempre ao seu lado pronto para lembrar-lhes Quem Realmente São; para chamá-los de volta ao lar. Por isso, sejam uma luz na escuridão, e não a amaldiçoem.

E não se esqueçam de Quem São no momento em que forem rodeados pelo que não são. Mas louvem a criação, mesmo quando tentarem mudá-la. E saibam que aquilo que fizerem no seu momento de maior sofrimento poderá ser a sua maior vitória. Porque a experiência que criam é uma afirmação de Quem São – e de Quem Desejam Ser.

O Senhor está dizendo que todos os eventos ruins que nos acontecem foram escolhidos por nós? Quer dizer que até mesmo as calamidades e os desastres mundiais são, em algum nível, criados por nós para que possamos “experimentar o oposto de Quem Somos”? E se for assim, não há um modo menos doloroso, para nós mesmos e para os outros, de criar oportunidades de nos experimentarmos?

Você fez várias perguntas, e todas são boas. Vamos responder uma de cada vez.Não, nem todas as coisas que lhes acontecem e que chamam de ruins são escolha de vocês. Não no sentido consciente – que é aquele ao qual você se refere. Todas elas são criações suas. Vocês estão sempre envolvidos no processo de criar.


Em todos os momentos. Todos os minutos. Todos os dias. Como podem criar, veremos mais tarde. Por enquanto, aceite apenas a Minha palavra: vocês são uma grande máquina criadora e produzem uma nova manifestação tão veloz quanto o pensamento. Ocorrências, condições, situações – tudo isso é criado pela consciência.

A consciência individual é muito poderosa. Podem imaginar o tipo de energia criativa que é liberada quando duas ou mais pessoas se reúnem em Meu nome. E a consciência das massas? É tão poderosa que pode criar ocorrências e situações de importância e conseqüências mundiais. Não seria certo dizer – não no modo a que você se refere que vocês escolhem essas conseqüências. Não as escolhem mais do que Eu as escolho. Como Eu, vocês as observam. E decidem Quem São com referência a elas.

Contudo, não há vítimas e nem algozes no mundo. E você tampouco é uma vítima das escolhas dos outros. Em algum nível todos vocês criaram o que dizem que detestam – e portanto, o escolheram. Esse é um nível avançado de pensamento que todos os
Mestres atingem mais cedo ou mais tarde. Porque é apenas quando eles aceitam a responsabilidade por tudo é que podem ter o poder de mudar parte disso. Enquanto você nutrir a idéia de que há algo ou alguém “fazendo isso” com você, não terá o poder de fazer nada a respeito. Somente quando disser “eu fiz isso” poderá ter o poder de mudá-lo.

É muito mais fácil você mudar o que está fazendo do que mudar o que os outros estão fazendo.

O primeiro passo para mudar qualquer coisa é saber e aceitar que você escolheu que ela fosse o que é. Se não puder aceitar isso em um nível pessoal, admita-o através de sua compreensão de que Nós somos todos Um. Tente então criar mudança não porque algo está errado, mas porque não é mais uma afirmação exata de Quem Você É.

Há apenas um motivo para fazer alguma coisa: uma afirmação para o universo de Quem Você É. Usada desse modo, a vida passa a criar o Eu. Você a usa para criar o seu Eu como Quem Você É, e
Quem Sempre Desejou Ser. Também há apenas um motivo para desfazer alguma coisa: ela não ser mais uma afirmação de Quem Você Deseja Ser, não o refletir, não o representar. Se você quiser ser corretamente representado, deve tentar mudar tudo em sua vida que não se encaixa na imagem que deseja projetar na eternidade.

No sentido mais amplo, todos os eventos “ruins” que acontecem são da sua escolha. O erro não é escolhê-los, mas chamá-los de ruins. Porque ao fazer isso, você chama o seu Eu de ruim, já que os criou. Esse rótulo você não pode aceitar; portanto, em vez de rotular o seu Eu como ruim, nega as suas próprias criações. É essa desonestidade intelectual e espiritual que o deixa aceitar um mundo em tais condições. Se você tivesse de aceitar – ou pelo menos tivesse uma forte sensação interior de responsabilidade pessoal pelo mundo este seria um lugar muito diferente!

2 thoughts on “Conversando com Deus

  1. Você está criando, porque não há outro além de você, além de nós, além de Mim, além do seu Eu Verdadeiro, que É Quem Eu Sou…, que possa criar. Você cria uma representação e a encena a partir de Quem você É, por ser Quem você É; você é o Ator que encena Sua peça, e então pode escolher entre reagir à peça ou interagir com ela, a partir de quem você está sendo…, a partir do personagem que está representando. Note bem, você em nenhum momento deixou de ser Quem É… A representação é algo temporal e impermanente, não é a Realidade. A Realidade transcende a representação, não no sentido de ser algo distante, mas no sentido de não ser perceptível aos sentidos de quem você está sendo, ao personagem que você está representando. É isso que torna a representação possível. As crianças fazem isso com freqüência! Elas imaginam algo que não é real e então se deixam levar pelo que estão imaginando… Você está fazendo o mesmo neste momento, mas com requintes de um realismo extraordinário! Você está indo muito além do que fazem as crianças, está indo além da pura imaginação; você está “criando”, concebendo a “realidade”… a realidade de sua representação; está concebendo a peça na qual está encenando… Nesta peça estou aparecendo a você como alguém que escreve um texto, e você está aparecendo como alguém que lê o texto… Esta é a representação; é o que parece ser real para a percepção de quem você está sendo; para os sentidos do seu personagem e pode então “escolher entre reagir à peça ou interagir com ela” mesmo estando na representação! Quando você escolhe “reagir à peça” a representação se torna bem mais realística porque implica em você estar escolhendo “ir a fundo” e “mergulhar” na representação! Por ser Quem É, por poder ir fundo na encenação, isto você o faz divinamente, o faz com maestria, ao escolher se identificar com o personagem que está encenando… É tão poderoso o realismo de sua encenação que ao se identificar com quem você está sendo você virtualmente se torna “quem você está sendo”! Mas esta escolha tem um preço… você fica subjugado pela encenação, pela própria peça que está encenando, e você se sente como se fosse completamente impotente, você se sente às vezes como se estivesse num pesadelo e como se não pudesse fazer nada a respeito… Nos momentos em que parece estar vivendo um pesadelo como fazer para “se livrar do pesadelo”, da realidade que te subjuga e retomar a percepção de Quem você É, mesmo estando imerso na representação? É para isso que este texto está sendo escrito! Quem você É está aparecendo como alguém que está escrevendo um texto… está aparecendo como um “personagem desperto”… mas que está sendo percebido por você! Este é o ponto, este é o algo a ser percebido: É você Quem está percebendo! Você está percebendo a você mesmo! Está percebendo Quem você É; Está percebendo seu Eu Verdadeiro “aparecendo como” na própria representação! Este “Eu Verdadeiro” já apareceu a você na própria representação como “O Mestre”; Este “Eu Verdadeiro” está aparecendo AGORA como o “personagem desperto” que redige este texto… Tanto o “Mestre” quanto o “personagem desperto” estão apenas apontando a você a direção a seguir… que é PERCEBER QUEM VOCÊ REALMENTE É!
    Na representação, que é o referencial do qual você está Se percebendo… quando apareço como o “Mestre” você me coloca num “outro nível” e me separa de você… Você repete as minhas palavras, mas as repete como sendo as palavras do Mestre… e não as Suas…Você “acredita” que “Eu e o Pai somos Um”, mas não “percebe” isso! Por isso agora estou aparecendo a você não como alguém extraordinário, como um Mestre, dos vários que já encenei, a quem você certamente colocaria de novo num pedestal… mas, como um igual; como um personagem igual a você, alguém normal…
    O que este personagem “normal”, igual a você, está dizendo, é que “o normal” dos personagens, o algo comum entre todos os personagens é a possibilidade que todos têm de perceber Quem eles São… não porque são quem estão representando mas porque são Quem São! Ou seja, não é a percepção do personagem que percebe a identidade de Quem ele É; é a percepção de Quem Ele É que percebe Quem Ele É… O que este “personagem desperto” está dizendo é que há uma “percepção latente” em cada personagem que pode ser acessada! E quando acessada esta “percepção” não te faz “ir para algum paraíso”…, ela te torna consciente de que “o paraíso é Aqui”!
    A Minha mensagem compartilhada através deste “personagem desperto” é que você pode escolher interagir Comigo em vez de reagir aos meus personagens e ao cenário! Isso fará de você estar na representação também como um “personagem desperto”! Ao escolher transcender a percepção do seu personagem, que são as razões, a lógica e os pensamentos da mente do personagem, e interagir Comigo, Me vendo em todo o cenário… você também perceberá que não apenas é real que “o algo comum entre todos os personagens é a possibilidade que todos têm de perceber Quem eles São…” como também é real que todos podem ter a “percepção da Consciência do Ser” que Somos, e que com esta percepção todos podem desfrutar os Meus pensamentos… e que todos devem compartilhar esta consciência da Realidade na qual todos Vivemos!
    Enfim, você está criando, você está concebendo… Apenas saiba que é possível a cada momento criar “reagindo ao cenário e aos personagens” ou “interagindo com o Ser”, percebendo Quem faz, desfrutando esta percepção e compartilhando-a com todos…

    Divinos Personagens,
    Por saber que “todos somos Um”, que todos temos uma Fonte comum, que é Divina, é que este texto está sedo redigido! Escolho interagir com o Ser e aparecer como um personagem desperto na representação e compartilhar a percepção de Quem somos!
    Namastê,
    Silvano

  2. Perfeito!! Que texto profundo e verdadeiro!! Isso reflete quem Sou!!! Obrigada João Jissô!!!

    È tudo muito bom e perfeito!
    È tudo muito bom e perfeito!
    È tudo muito bom e perfeito!

    Namastê… Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ …

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s